Especialistas destacam importância do autoconhecimento para manter a saúde emocional

17 de setembro de 2020

A CAURN promoveu mais uma edição do Bate Papo online e dessa vez o tema foi: “Saúde Emocional em tempos de pandemia”. O mediador Kenio Costa conversou com o psiquiatra Raniere Luna e a psicóloga Andiara Cachina, que destacaram a importância em buscar um sentido para a vida com o objetivo de manter o equilíbrio emocional durante a pandemia.

Para a psicóloga, vivenciar um novo momento fez com que as pessoas desenvolvessem vários sintomas psicológicos. “Temos recebido em nosso consultório muitos pacientes com alguns sintomas um tanto exacerbados, com o medo de um processo de adoecimento físico e um processo de finitude, ansiedade, depressão. Pacientes, inclusive que estavam em fase de remissão, com toda essa situação envolvendo isolamento houve um aumento nos sintomas”, destacou a psicóloga.

De acordo com o psiquiatra Raniere Luna, cada pessoa vai passar por essa fase de forma particular. “Para algumas pessoas será fácil e para outras não. No entanto, a maioria das pessoas terá que passar por adaptações. As pessoas não necessariamente vão adoecer, mas observem algum sintoma, o aparecimento de mudança no sono, ansiedade, compulsão por algum alimento, em busca de outros prazeres que venham a substituir as coisas que ficaram impossibilitadas de serem realizadas”, explicou.

Dentro do tema Saúde Emocional, muitos outros aspectos também foram destacados pelos profissionais. Atualmente, existe uma grande procura por ajuda profissional para lidar com essa nova situação e todos querem entender como viver melhor nesse momento.

“Devemos vivenciar o momento sem desespero, da melhor forma possível. Devemos fazer a nossa parte. Fazer algo por nós. Criar uma rotina. Reinventar. Estabelecer contatos, nem que seja virtual. Manter a rede socioafetiva. Leitura. Cada um vai surgir com o seu recurso, com o seu mecanismo de enfrentamento para lidar com esse momento. Tentar lidar com esse retorno ao nosso eu. Aos nossos espaços fechados que leva ao autoconhecimento. Acolher os nossos receios, nossos medos. Criar atividades que possamos nos reinventar”, destacou Andiara.

Para Raniere Luna, o fato de ter que ficar em casa se tornou um grande desafio para boa parte da população. No entanto, é preciso tentar ter uma rotina saudável. “A impossibilidade de realizar atividades, coisas que a pessoa normalmente podia fazer, tipo, atividade física, encontrar amigos, envolve um fator ‘ansiolítico’, você vai ter que buscar mais elementos internos para ter esse suporte. Ai você vai poder buscar dentro. Como está nossa vida interior, nossas experiências. Esse será o ponto chave para lidar com essa necessidade de ficar em casa”, enfatizou.

Confira aqui nossa live completa:

Atendimento via
Whatsapp